segunda-feira, 10 de novembro de 2008

O Uso do Celular nas Escolas

Não se pode ignorar o avanço da tecnologia em nosso dia-a-dia. Hoje, as crianças estão antenadas a estes avanços tecnológicos. Desde muito cedo as gerações vem inserindo-se em uma nova sociedade: a "sociedade digital", conforme nos alerta nos alerta o filósofo italiano Pier Cesare Rivoltella, especialista em Mídia e Educação e consultor de grupos de pesquisa sobre esse tema na PUC-RJ.

Entre várias tecnologias, hoje encontramos facilmente no mercado os IPods, Mp3 (e até Mp12), IPhones, entre outros. Porém o celular ainda lidera, e aos poucos começa a fazer parte do mundo lúdico das crianças juntos às bonecas, carrinhos, bolas, patins, vídeo-games e muito mais.

As crianças, cada vez mais cedo, vem despertando o interesse pelo celular. Já conhecem os modelos, as funcionalidades, e hoje já são frequentemente pedidos. Posso até dizer que se questionarmos uma criança sobre o que ela gostaria de ganhar de presente dando-lhe duas opções, um brinquedo ou um celular, os dois provavelmente ficariam indecisos.

Muitas crianças já pedem o celular para os pais e alguns já cedem aos encantos digitais, por dois motivos: agradar seus filhos e monitorá-los, torando mais fácil o dia-a-dia.

Porém, este presentinho pode ser um grande desafio para as escolas.

Reconheço a importância do celular em nossas vidas. Porém não podemos entregá-lo nas mãos de nossos filhos sem antes orientá-los, afinal vivemos em um mundo que existem regras.

O mal uso do celular pode trazer seríssimos problemas tanto educacionais e psicológicos quanto problemas de saúde.

E será que proibir o uso do celular seria a melhor solução???

Acredito que podemos inserir esta tecnologia ao cotidiano das escolas e transformá-lo em recurso pedagógico. Que legal seria que professores pudessem enviar torpedos para seus alunos mantendo o vínculo de amizade também fora da escola, e também enviar dicas de leitura e de cultura, sites educacionais, lembretes entre tantas outras idéias que vão surgindo de acordo com o incentivo deste suporte, e assim o aprendizado se tornar ainda mais interessante e dinâmico.

Este método de ensino via celular vem conquistando os espaços educacionais e já foi até criado um nome para este método de ensino, o Mobile Learning (Aprendizagem Móvel), ou apenas M-Learning. Existe uma escola em Portugal que vem tendo resultados muito positivos com esta ferramenta de ensino, a Escola Secundária Carlos Amarante, em Braga.

Acredito que aqui no Brasil, este método não demore a ser inserido nas escolas, pois a cada dia que passa o celular vem fazendo parte do dia-a-dia das crianças.

O celular, como outras tecnologias, pode favorecer o trabalho na escola, tornando-o mais criativo, envolvente e dinâmico.
Porém é necessária que se tenha uma formação que habilite os educadores ao uso destas novas tecnologias, pois ainda não absorvemos a cultura da utilização das tecnologias para o enriquecimento da prática docente, infelizmente ainda prevalece uma resistência para a utilização das mesmas. E isto é motivo de preocupação, pois enquanto a escola não se adapta a utilidade dessa tecnologia, ele invade a escola podendo comprometer a finalidade da mesma no que se refere ao ensino e aprendizagem. E vou além, acredito que mais do que adaptar-se, as escolas deveriam incluir o uso do aparelho celular em sua proposta pedagógica, para que futuramente o uso indevido do aparelho celular não venha a interferir no convívio, na atividade em sala de aula e na qualidade de relação dessa criança com os demais.

Vale salientar que o celular é também um bem lúdico e "(...) sendo a Escola a instituição responsável pela formação cultural da criança, cabe a ela também proporcionar esse conhecimento (...)" (SILVA, 1992, p. 92).

Não é salutar proibir a criança de ter um celular, mas deve-se estimular cada vez mais a brincadeira, o relacionamento com os coleguinhas, o lazer, os estudos.

Dar um celular nas mãos de uma criança sem a devida orientação seria um equívoco. É importante dialogar com a criança a finalidade do aparelho e mostrar os limites, tanto para os filhos quanto para os pais.

Na escola o celular só deve ser utilizado mediante permissão da professora e em casos de urgência, fora isto ele deverá permanecer desligado, assim como é nas escolas da Alemanha, em que as crianças podem levar os aparelhos para a escola, mas eles não podem ser ligados dentro do ambiente escolar, para que este não venha comprometer o desenvolvimento e a concentração dos alunos.

É preciso que a escola realize um trabalho de conscientização com pais e alunos.

Este tema vem sendo muito discutido em todo Brasil e algumas cidades o uso deste aparelho foi proibido, porém aqui na Paraíba, o projeto de lei de autoria do deputado Nivaldo Manoel (PPS) que previa a proibição do uso de telefone celular nas escolas públicas e privadas da Paraíba foi vetado pelo Poder Executivo.

Não existe um consenso sobre uma idade padrão para iniciar o uso do aparelho pelas crianças. Hoje em dia é difícil estabelecer uma idade para esse uso, vai depender da necessidade dos pais e filhos. Mas acredito que uma criança de 10-11 anos já está preparada para ter um celular, mas a partir dos 7 anos eles já sabem manusear e já começam a pedi-lo de presente. E com isso o mercado já se prepara para atender aos gostos dos pequenos, com mais funções, estilos e cores.

A moderação e a mediação são as melhores receitas!!!

3 comentários:

vivoblog disse...

Olá, Poliana, muito legal o seu post. O seu comentário foi muito bem-vindo. Vamos acompanhar o seu blog e já esperamos os próximos posts. Quando tiver sugestões e informações e até mesmo iniciativas bacanas da Paraíba, manda para nós. Abraços Mirna

www.vivoblog.com.br

Alex Sandro C. Sant'Ana disse...

Gostei de seu post sobre o uso do celular nas escolas ;)

Rômulo disse...

Mais uma blogueira na cota da JSB, e essa de uma categoria indiscutível...
Tah adicionadiscima... Bem-vinda ao "Fantástico Mundo de BLOG"...